Quarta-feira, 1 de Novembro de 2006

" O beijo "

       
Assim que recuperei forças, abandonei o local.

Resolvi vaguear pelas ruas da cidade, apreciar o movimento que se fazia sentir naquela noite, a vida nocturna estava a desabrochar àquela hora, a chuva não deixava de cair mas nem assim o movimento abrandava nas ruas da cidade. As gotas de àgua corriam na minha cara, os meus cabelos já estavam encharcados, sabia bem sentir o cheiro destas primeiras chuvas, ouvia-se o passar dos carros nas estradas molhadas, havia uma ligeira tristeza no ar associada a esta estação que me percorria a alma, e talvez também tivesse um pouco a ver com o que se tinha acabado de passar.

Tinhas tentado entrar em contacto comigo depois da minha saída do café mas assim que chegasse a casa desligaria o telemóvel, nada mais havia a dizer entre nós, estava tudo mais que visto, mais que esclarecido dentro da minha cabeça.

Entrei no carro e dirigi-me a casa.

Assim que cheguei, avistei um vulto perto da entrada do prédio, eras tu, apetecia-me voltar para trás e deixar-te ali. Não queria falar contigo, mas também estava sem vontade para começar uma discussão ali mesmo em frente à porta de casa, pelo que parei com a intenção de te dizer que falaríamos noutro dia, esperando que acabasses por desistir.

- Olá… Disseste tu, com receio da minha reacção em relação ao facto de estares ali, à minha espera bem em frente à porta da minha casa.

- O que estás aqui a fazer? Esperando que com esta pergunta, começasses a achar-me antipática e com péssimo feitio desistindo assim de tentar uma aproximação.

-Vim tentar perceber porque é que abandonaste o café daquela maneira…

- Acho que é óbvio! Contra ataquei eu prontamente.

-Óbvio? Porque é que dizes isso..? Perguntaste calmamente parecendo já saber qual seria a minha resposta.

- Estavas muito bem acompanhado, eu estava ali a mais, ou pensas que sou parva para não ter percebido??!! Ataquei eu já com o intuito de te dissuadir de continuar aquela conversa.

- Estás a falar da rapariga que estava comigo?

- Sim! Essa mesma… ou vais-me dizer que é apenas tua amiga, e que não é mais uma das tuas conquistas?!!

Sorriste…

Pegaste-me nas mãos, afastei-as rispidamente e estava a preparar-me para te virar as costas quando me disseste antes que fosse tarde demais…

- A rapariga que estava comigo é minha irmã. Ela está ansiosa por te conhecer.

Naquele momento fiquei completamente sem palavras e sem saber o que te dizer. Apenas balbuciei…

-A tua irmã???engoli em seco.

Respondeste afirmativamente com um gesto e ficaste a olhar para mim, à espera da minha reacção.

- Deves estar a brincar comigo!

Assim que te disse isto, voltei a virar-te costas, estava já a caminhar em direcção à porta do prédio, mas agarraste-me pelo braço e não me deixaste continuar.

- Larga-me! Estou farta de mentiras! Exclamei eu, não podia ter sido tão imbecil.

Agarraste-me o braço ainda com mais força quando me tentei libertar e obrigaste os nossos corpos a ficarem juntos um contra o outro, sem me deixares reagir àquele teu gesto impulsivo, e antes que pudesse resistir, beijaste – me como a tanto tempo o desejavas, apenas tinha sido adiado o inevitável, deste-me um beijo louco, cheio de intenção, sôfrego, cortaste-me a respiração! Estavas farto de retardar aquele momento e fazer tudo como eu queria estava mais que na hora de tomares as rédeas da situação e assim o fizeste naquele momento. Consenti este teu gesto pelo prazer que o teu beijo me deu, afinal não havia mais motivos para adiar algo que estava destinado desde o início e desfeito o equívoco, retribui o teu beijo. Não adiantava fugir, apenas render-me às evidências. Abri a porta do prédio com dificuldade, os beijos sucediam-se sofregamente,desejava aquele momento já a muito, apenas não sabia. Sentia-me tremer de desejo,,olhavas-me com uma vontade que já não via à muito nos olhos de alguém, levei-te  até ao pequeno hall do prédio que dava acesso as escadas junto ao elevador, separado apenas por uma porta e começa – mo – nos a despir entre beijos ávidos e loucos, sentiste no teu toque o meu peito rígido do prazer que me davas, acariciei-te,não mais fugirias, não mais existiriam equívocos entre nos. O teu desejo era cada vez mais intenso, e isso via-se na escuridão que nos envolvia apenas quebrada pela luz da lua que teimava em passar por uma pequena janela,sentia o teu membro a ficar rijo, desejoso das minhas carícias que não tardaram, a única determinação que tinha naquele momento era ter-te, satisfazer um desejo abafado. Entraste dentro de mim e ali fizemos amor, perdemos a completa noção da realidade, apenas nós éramos importantes, apenas o que se passava ali existia. Vivemos aquele instante como único e abraçaste-me a seguir a um orgasmo fogoso sentido pelos dois, vibraste de prazer, voltaste a sorrir, seguraste-me o rosto e bem perto do meu ouvido sussurraste…

- Nunca te menti e não te vou mais deixar fugir…

 

Categorias:

Escrito por FlordeLis às 00:00
| Vossas memórias
20 comentários:
De FM a 1 de Novembro de 2006 às 01:27
tudo acaba bem, quando começa bem!
BJ e bom feriado

FM


De FlordeLis a 1 de Novembro de 2006 às 01:36
Acho que foi mesmo obra do destino...



De nevoeiro_vagabundo a 1 de Novembro de 2006 às 01:39
algo me dizia que a historia teria este final e que ela era sua irma:)
beijo vagabundo pela tua historia....


De FlordeLis a 1 de Novembro de 2006 às 01:43
Ainda gostava de saber como será um beijo vagabundo....
Fica aqui a incógnita....



De Fernando a 1 de Novembro de 2006 às 14:13
Fiquei sem perceber o papel da irmã...


De FlordeLis a 1 de Novembro de 2006 às 21:30
A irmã era a rapariga que estava com ele no café naquele dia que fui ter com ele. Apenas isso. Ah, e aviso-te já que fiz um pequeno texto para dizer qual é o livro que levou a estes episódios.. :)
Depois vês.



De Paulo a 2 de Novembro de 2006 às 12:04
Não foi ofinal que eu esperava.
Mas nao seria eu a decidir o final, mais um ou dois episódios não teriam ficado mal na história.
Deu-me a entender um final um pouco precipitado após tanto enredo.


De FlordeLis a 2 de Novembro de 2006 às 13:08
Quanto mais reprimimos o que sentimos, pior é para nós, e às vezes um acto irreflectido sabe tão bem...





De Pequenita - Quando o Teu Corpo e o Meu.. a 2 de Novembro de 2006 às 15:32
Entre o corpo de uma mulher
E o de um homem
Há mais mistérios do que
O céu e a terra
Poderiam imaginar.

Kisssesssss pequenita


De FlordeLis a 2 de Novembro de 2006 às 21:07
Pois é... concordo plenamente contigo.
Nós como mulheres entendemos esse tipo de coisas...



De apenasMadalena a 2 de Novembro de 2006 às 16:09
Ai mulher eu até tou com calores dps d ler isto!!!!
Simplesmente lindo e erótico!
E com final feliz para ambos, o q é muito importante.
Amei!!
Bjokas
Madalena


De FlordeLis a 2 de Novembro de 2006 às 21:08
Acho que não leste alguns dos textos anteriores, senão...
Até coravas Madalena...
Ainda estás a tempo!...




De Paulo a 2 de Novembro de 2006 às 16:18
Pode saber bem mas deixar marcas de dor ainda mais profundas...


De FlordeLis a 2 de Novembro de 2006 às 21:10
Mais complicado é sofrer sem viver a vida , Paulinho...



De marisa a 2 de Novembro de 2006 às 21:25
cada vez estas melhor ... as mudanças aki no blog estao mto giras


e os romances mto giros beijocas


De FlordeLis a 2 de Novembro de 2006 às 22:16
Agradeço o elogio, quando faço o que gosto, gosto de me esmerar, e tenho gosto em ter um cantinho meu que goste de abrir vezes sem conta, e que os outros se possivel tambem apreciem...



De Ari a 2 de Novembro de 2006 às 23:41
um misto de paixão e desejo.

Lindo.....

um beijinho


De FlordeLis a 2 de Novembro de 2006 às 23:51
À que saber apreciar os bons momentos que a vida nos dá...



Memoriza comigo...

Memórias Recentes

...

Para ti...

Fonte

Memórias Passadas

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006