Sexta-feira, 15 de Setembro de 2006

"Viagem..." 3ª parte

Entrámos de mansinho, com receio de acordar alguém…

Ao cimo das escadas estreitas, encaminhaste-me para o quarto onde estavas hospedado, abriste a porta, e apesar de pequeno, fez-me sentir confortável, à medida que olhava em redor...

Estava quase a morrer de frio, deitamo-nos para nos aquecermos um pouco, mesmo vestidos por baixo das mantas. Aninhei-me junto de ti, na esperança de aquecer mais depressa, mas estava difícil, o frio tinha-se instalado e parecia não querer largar os nossos corpos, que tremiam, de tão congelados que estavam…

-Daqui a pouco já estamos quentes, disseste tu…

Aproximaste-te ainda mais e disseste-me ao ouvido…

-Deixa-te levar…

Como se isso fosse muito difícil, pensei eu...

Introduziste a tua mão delicadamente pelas minhas calças e lentamente afastaste as minhas cuecas, os teus dedos movimentaram-se de maneira a provocar o meu desejo, beijaste a minha boca provocatoriamente, sabendo de antemão que aquele teu gesto me deixava louca sempre que o fazias, contorci-me ao sentir-te, humedeceste-me de seguida, com a tua saliva quando levaste os dedos à tua boca, provando o meu gosto, lambendo os teus dedos de forma a que me desses a perceber que adoravas aquele odor, o que me excitou ainda mais… os nossos corpos começaram finalmente a sentir calor, e à medida que nos fomos despindo com uma certa rapidez, os nossos beijos deixavam-nos completamente entregues à tesão que percorria os nossos corpos, beijava-te desenfreadamente, quis engolir o teu sexo ao mesmo tempo que me tocavas, mas não me deixaste, arrastando-me para a pequena varanda do quarto que dava para uma rua estreita com pouca luz.

Abriste de par em par as portadas de vidro e ali ficámos nós completamente despidos, perante qualquer olhar, qualquer movimento, qualquer pessoa que passasse ali mesmo em baixo. Das janelas via-se apenas escuridão e em algumas ainda se viam luzes acesas aquela hora… estávamos entregues assim, a qualquer olhar.

Beijei-te mais ainda, e senti-me desafiada…

Segurei-me àquela varanda, contorcia-me sentindo os teus beijos pela nuca, pelas costas, percorreram o meu corpo. O frio, se existia, deixei-o de sentir.

Atrás de mim apertaste-me o peito contra a tua mão, sentias os meus mamilos rijos ávidos de desejo, introduziste o teu sexo por mim adentro e senti-te húmido, senti o quanto estavas excitado. Completamente entregues aquele acto sexual, beijavas-me o pescoço como se fosses um predador, a tentar dominar a sua presa, o que me excitava, ao mesmo tempo que me devoravas, que entravas por mim adentro, mais ritmado ainda… atingimos um orgasmo quase em simultâneo, o meu corpo estremeceu,não de frio, mas de um prazer instantâneo, abraçaste-me e assim permanecemos algum tempo sem falar, apenas aliviando a nossa respiração, deixando os nossos ritmos cardíacos voltarem ao normal.

-Ainda sentes frio? perguntaste com aquele teu sorriso malicioso.

Observei-te.Tinhas acabado de realizar uma fantasia minha,que já conhecias.O que eu não te disse é que durante o tempo que ali estivemos, alguém nos espreitou, e se deliciou também com o nosso prazer…

Categorias:

Escrito por FlordeLis às 00:00
| Vossas memórias
24 comentários:
De ZePedro a 15 de Setembro de 2006 às 08:56
Um espanto em dois sentidos este final
Em primeiro lugar pela envolvencia da escrita como sempre o ler e o imaginar que se está no local, por vezes como observador outras vezes sentindo como participante que é o que me acontece sempre quando leio estas palavras, sente-se a intensidade.
Mas a concretização essa sim deixou-me de novo espantado pela semelhança com algo que eu já vivi por mais uma vez.
E é neste sentido que fiquei ainda mais de boca aberta pois recordo uma noite de verão noite mesmo bem quente de verão em que numa terra de praia algures no algarve passei por uma situação bem igual por volta das 11 da noite no primeiro andar de uma rua relativamente movimentada o mesmo fiz não sei se fomos observados ou não pois a intensidade do momento não dava para olhar para mais nenhum lado mas sei que a menos de 10 metros iam passando pessoas enquanto nos entregávamos ao imenso prazer e tesão que nos dava a situação.
Será que nestas palavras aqui postadas irei através de outras experiencias de alguem que nunca vi recordar todas as loucuras que já cometi?
Beijos agradecidos


De FlordeLis a 15 de Setembro de 2006 às 09:38
Todos passámos um pouco pelo mesmo, em alguma altura da nossa vida... e quiça se não voltarás a passar outra vez... ?


De Fernando a 15 de Setembro de 2006 às 10:16
Ora, reencarnando aqui uma de Freud, ou mais por terras lusas, passando por Júlio Machado Vaz, há que notar, mais uma vez nestes escritos a referência implícita ao vouyeurismo. Não no sentido da observação, mas sim no de observada. Mas que sério que eu estou hoje....


De FlordeLis a 15 de Setembro de 2006 às 16:41
Não passa por mais nada, nem que seja pelas entrelinhas, Fernando..?


De Ana a 15 de Setembro de 2006 às 14:01
Se o clímax de todo este conto foi o anunciado, ao longo dos anteriores capítulos, uma explosão de sentidos maravilhosa o saciar da paixão, a descrição dos pormenores que levaram ao tal clímax surpreendem, causam arrepios, confesso que me imaginei naquela varanda, senti os odores e respiração de cada um dos personagens deste conto.
Real ou não esta história desperta todos os sentidos e faz-me desejar...ler mais.
Adorei
Beijos
Ana



De FlordeLis a 15 de Setembro de 2006 às 16:43
Bem, assim pudeste confirmar o quanto estava frio naquela varanda, certo ?!!



De Ana a 15 de Setembro de 2006 às 18:00
frio nem pensar.. ainda estou em brasa, rsrs


De FlordeLis a 15 de Setembro de 2006 às 18:03
Melhor ainda... !


De FM a 15 de Setembro de 2006 às 17:28
Realmente, mereceu a pena a espera...
Não sei se conseguirei expressar bem, talvez vá de encontro ao que aqui já foi dito anteirormente...
Acho que, no decorrer destas palavras, não me imaginei na tua situação, mas recordei-me de situações semelhantes, por mim vividas...
BJ

FM


De FlordeLis a 15 de Setembro de 2006 às 17:40
Ainda bem que assim é.. e de certeza que foram bons momentos... eu consigo imaginar!



De FM a 15 de Setembro de 2006 às 18:44
poderia tentar descreve-las, mas não teriam a magia que tu lhes incutes, porque ... no momento não consigo pensar... BJ e bom fim-d-semana

FM

este bonekinho k puseste aki ...


De FlordeLis a 15 de Setembro de 2006 às 18:58
Podes fazer o seguinte, se um dia quiseres ver uma historia tua escrita aqui,basta que me mandes um texto escrito por ti, que depois eu refaço-o à minha maneira e antes disso mandaria-te o texto para aprovaçao,claro... (é apenas uma ideia)




De Fernando a 15 de Setembro de 2006 às 20:48
Sim, qq coisa sem tomates....


De FlordeLis a 15 de Setembro de 2006 às 21:02
com ou sem nao importa ! isso vai da historia de cada um...



De FM a 16 de Setembro de 2006 às 12:30
olha... porque não?!
seria uma história tua, baseada em factos reais....


De FlordeLis a 16 de Setembro de 2006 às 13:03
Fm,podemos fazer o seguinte :
Eu estou a escrever agora, uma historia que o Zé Pedro me mandou, para eu escrever da maneira que entendesse melhor e farei referencia que a historia não e minha, mas sim dele. Apenas escrita por mim.
Posso fazer o mesmo se entenderes a uma história tua. É só escreveres para mim. Ou então se não quisesses não se revelaria a tua identidade. É só escolheres! fica aqui o meu email : leonorocha@sapo.pt


De FM a 16 de Setembro de 2006 às 12:26
o meu amigo.... tomates é que não íriam faltar....!!


De libertynus a 16 de Setembro de 2006 às 01:29
malandrinha a menina...quer a juda...ou a mensagem não pega?


De Ari a 16 de Setembro de 2006 às 15:29
As tuas palavras transportaram-me para um mundo muito sensual e tentador...

Um beijinho

ahh gostei muito do teu cantinho


De FlordeLis a 16 de Setembro de 2006 às 18:50
Agradeço a tua visita ao meu espaço...
É sempre bom ver caras novas por aqui.. também gostei do teu blog, muito simples, mas no bom sentido...

E fui buscar a música,porque não me aguentei,transmite -me uma sensação de paz ...



De Ari a 16 de Setembro de 2006 às 15:54
A musica chama-se Home do Michael Bubble.

Ele tem musicas lindas !


De Vera a 18 de Setembro de 2006 às 10:35
Bem... arrepiante (no bom sentido, claro!). Até fazes com que quem lê se sinta na pele das personagens!
Beijo e continua!


De Alien a 20 de Setembro de 2006 às 01:01
Gostei deste texto. Não é facil escrever cenas de sexo que tenham o minimo de qualidade. Até hoje só dei os parabéns neste blog. Onde li um cena que parecia retirada de uma argumento de um filme. Tão boa era a descrção, os detalhes...tudo.

http://www.contossecretos.com/


De FlordeLis a 20 de Setembro de 2006 às 13:59
Olá. Também conheço esse blog muito bem, e gosto muito, aliás está na minha lista de recomendações... :)



Memoriza comigo...

Memórias Recentes

...

Para ti...

Fonte

Memórias Passadas

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006