Quarta-feira, 6 de Setembro de 2006

"Poema de Florbela Espanca"

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Eu era a desdenhosa, a indiferente,

 Nunca sentira em mim o coração

 Bater em violência de paixão,

 Como bate no peito à outra gente.

 Agora, olhas-me tu altivamente,

 Sem sombra de desejo ou de emoção,

 Enquanto as asas loiras da ilusão

 Abrem dentro de mim ao sol nascente.

 Minh'alma, a pedra, transformou-se em fonte;

 Como nascida em carinhoso monte,

 Toda ela é riso e é frescura e graça!

 Nela refresca a boca um só instante...

 Que importa?... Se o cansado viandante

 Bebe em todas as fontes... quando passa?...

Florbela Espanca

 

Categorias:

Escrito por FlordeLis às 00:00
| Vossas memórias
15 comentários:
De Fernando a 6 de Setembro de 2006 às 15:27
Ver, eu vi logo de manhã... Estou atento, apenas não comentei..... Pronto, comento agora.


De John Lemmos a 6 de Setembro de 2006 às 20:43
Obrigado por comentares no meu blog.
Para mim, o amor kd é amor, não se dilui nunca, se se dilui não era amor.O amor tem mts sentidos, mts formas...Amas um filho, esse amor não morre nunca, isso é amor verdadeiro. ;-)

**beijos**

(acho que posso adicionar.te no meu blog ou nao? - ta feito adicionei.te)


De FlordeLis a 7 de Setembro de 2006 às 16:00
Agradecida também pela tua passagem por este cantinho..
Quanto ao amor,como sabemos à muitas formas de amar,mas todos sabemos que o amor que pudemos sentir por um filho é eterno... deve ser o único completamente desinteressado, e daí duradouro..


De John Lemmos a 6 de Setembro de 2006 às 20:51
Devo dizer.te que também adoro Florbela Espanca.
Gostei deste post...

**outro beijo**


De FlordeLis a 7 de Setembro de 2006 às 16:02
Eu achei este muito adequado aqui para o meu blog, e também um pouco adequado à minha pessoa...



De FM a 7 de Setembro de 2006 às 03:16
a mudança está sempre eminente...

BJ

FM


De FlordeLis a 7 de Setembro de 2006 às 16:03
e ao longo da nossa vida...



De herculanodacosta a 7 de Setembro de 2006 às 14:36
olá
tem piada! neste já consigo comentar...!
xi
herc


De FlordeLis a 7 de Setembro de 2006 às 16:04
Consegues comentar nos dois.. so que no pensamentos aparece como dando erro, mas ele está lá.. é só espreitares! :)



De Vera a 7 de Setembro de 2006 às 22:22
Adoro Florbela Espanca e este poema é lindissimo!


De FlordeLis a 7 de Setembro de 2006 às 22:50
Ainda bem que o poema foi bem escolhido... !




De Portugal a Rir a 8 de Setembro de 2006 às 06:38
Os poemas da Florbela pertencem a uma época e a das "choronas". Gosto mais dos poemas das canções do Quim Barreiros, principalmente daquele que queria cheirar o bacalhau da vizinha. Excelente blog.


De FlordeLis a 8 de Setembro de 2006 às 11:34
Obrigada pela visita.. e porque não o Quim Barreiros qualquer dia??!! :)



De John Lemmos a 8 de Setembro de 2006 às 21:46
Agora sim... ja está direitinho o blog.

Bom fim de semana

**beijos**


De FlordeLis a 8 de Setembro de 2006 às 23:31
Acho que o problema é mesmo do Sapo,de vez em quando também precisa de afinações...




Memoriza comigo...

Memórias Recentes

...

Para ti...

Fonte

Memórias Passadas

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006