Sexta-feira, 9 de Março de 2007

Presente

Sabia muito bem o que pretendia de ti.

Deixei-te pensar que estaria sob teu controle, deixei-te analisar os limites da minha resistência, avançares ate perceberes que nem tu próprio irias suportar. Roçava-mos os nossos corpos, as minhas mãos sondavam cada centímetro do teu peito, fazias-te de distraído, sorrias em resposta aos meus avanços como se eu não soubesse o efeito que isso te estava a causar. Queria tocar-te devagar, fazer-te sofrer também.

Aproximei os meus lábios dos teus e em pequenos gestos circulares abordei os teus lábios carnudos. A espera já tinha sido longa, agarraste-me e quase que perdia o fôlego, quase me engoliste naqueles instantes seguintes, a sofreguidão da demora deixou-te louco, entregue ao desejo que te consumia, e a cada beijo teu, a nossa entrega era mais que evidente, eram beijos dados com gula, e os teus gestos tinham perdido qualquer pudor, aprisionaste os meus seios e quase me despiste mesmo ali. Fiz-te parar por alguns instantes e chamar-te à razão. Não estávamos precisamente sós.

Abandonamos a sala e depressa estávamos noutra divisão, não mais pequena do que aquela onde tínhamos estado, mas desta vez longe dos olhares indiscretos dos empregados.

Voltaste a olhar para mim, quase como um cachorrinho abandonado. Senti-te um pouco confuso, mas sequioso, e voltamos a cruzar as nossas línguas num desespero inexplicável, agarraste-me, puxaste-me contra ti, as tuas mãos tocavam já na minha pele por baixo do tecido e senti o meu corpo a chamar por ti, completamente rendido ao desejo de paixão, de entrega. Afaguei o teu membro excitado, desejei sentir-te dentro da minha boca, desabotoei as tuas calças e rodeei a tua glande com a minha língua, comecei a sentir -te húmido. Engoli-te ainda mal te tinhas apercebido e senti o teu membro crescer a olhos vistos, soltaste um gemido de prazer e enquanto que em movimentos regulares te saboreava, olhava para as tuas expressões, alheias ao que se passava em volta, apenas saboreando o prazer que aflorava em ti. O teu corpo ardia, depressa te obriguei a despir o resto da roupa que ainda resistia. Sentiste-me, apertaste-me contra ti e os meus seios já roçavam no teu membro, apertei-os, senti-te crescer, vibrar com a sensação que aquele gesto te causou. Fizeste-me debruçar contra a secretaria em que estavas apoiado, desviaste o fio dental e entraste por mim dentro, fui incapaz de manter o silencio, senti-te, perdi-me no desejo de ser possuída por ti, os nossos gemidos confundiam-se, a respiração parecia apenas uma só, Com uma das tuas mãos sentias o meu seio que se oferecia ao teu gesto, permanecendo rijo, sequioso do teu toque, ao mesmo tempo que te apoderavas do meu corpo, puxando-.me contra ti, entrando dentro de mim, com sofreguidão, a tesão de ambos aumentava inevitavelmente, os movimentos regulares faziam nascer ondas de prazer que se reflectiam em dois corpos nus e suados. Estava completamente entregue à paixão, já nada importava naquele momento, nem o tempo que ia lá estar, nem o facto de saber que poderia estar a criar-te esperanças. Agora era aquele momento, e era esse que me estava a deixar tonta. Numa ânsia de desejo, o orgasmo chegou intenso, devastador, tombando-nos e jogando-nos nos braços um do outro, ofegantes. Debruçaste-te por cima de mim e ali ficamos algum tempo. Permanecemos calados.

O futuro seria o amanha. E o amanha ainda não era agora.

 

 

Categorias:

Escrito por FlordeLis às 22:22
| Vossas memórias
2 comentários:
De Mikas a 13 de Março de 2007 às 12:15
Mas que quentura que vai por aqui


De Paulo a 14 de Março de 2007 às 17:08
ai que tanta violencia fisica.....
Beijito


Memoriza comigo...

Memórias Recentes

...

Para ti...

Fonte

Memórias Passadas

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006