Quarta-feira, 3 de Janeiro de 2007

Conto

Encontrei-te ali. No local combinado.

Aquele mesmo sitio que nos separou pela ultima vez, que tinha nos levado a caminhos opostos, que tinha servido de ponto de referencia em alguma altura, em algum momento mais feliz nas nossas vidas, mas que se tinha alterado com o passar do tempo, agora apenas nos recordávamos dele, como um símbolo de uma separação forçada, mas que por instantes, agora e ali naquele momento servia novamente para mais um encontro fortuito para recordar, reencontro esse já á tanto tempo adiado.  

Combinado apenas a algumas horas atrás sem saber o que iríamos sentir, quando nos reencontrássemos novamente, depois de tanto tempo de uma ausência forçada, recuperada agora naquele momento e que se desvaneceu como se de breves instantes se tratasse. Todo o tempo de espera tinha evaporado no ar. Perdeu-se até no espaço e nada disso nos fazia recuar ou mover um passo atrás, na decisão que tínhamos tomado.

O dia parecia ter ajudado, deixava antever um dia de sol, apesar do frio que se fazia sentir, logo pela manha, acompanhado de uma brisa gelada que nos fazia tremer, gelar por fora, apesar do calor que me percorria o corpo naquele exacto momento, algo a que já estávamos habituados pelas cidades que vivíamos, ambas no interior apenas bem longe uma da outra e eram esses imensos quilómetros que nos separavam, que nos afastavam alem de muitas outras coisas que nada tinham a ver com a geografia.

Perto da varanda que protegia o átrio daquela pequena igreja, olhavas a paisagem. Senti-te distante, apesar do sorriso que soltaste quando me viste. Continuavas o mesmo apesar do tempo ter passado por nós, sempre risonho, sempre aquele olhar triste, que se desvanecia quando pousavas o teu olhar no meu, mas que depressa regressava, quando a memoria te atraiçoava.

Olhei-te do mesmo modo, inclinando um pouco a cabeça, apreciando o que me fez mover durante tanto tempo, o que me fez lutar, o que me fez acreditar que a força de um sentimento era capaz de tudo. Veio-me à memória muita coisa. Muita coisa que durante este tempo tinha feito um esforço para esquecer, deixar num passado à muito enterrado, levado pelas cinzas….

Continuamos assim, durante alguns instantes, sem saber bem o que dizer. Paramos, como se o tempo também tivesse parado à nossa volta, esperamos uma reacção, mas nenhum de nos se moveu, durante aqueles segundos, que pareceram horas.

Finalmente, conseguimos reagir, mesmo que um pouco a custo, nem sei bem quem falou primeiro... Senti um abraço apertado, não em demasia, apenas um abraço, um gesto como tantos outros, sem nada de mais. Vazio. Vazio de paixão, vazio de algo profundo, sentido, sem vigor, sem alma ou compaixão. Senti apenas um corpo. Um ser que se reencontrou com um passado à muito esquecido, apenas guardado, intocável para o resto do mundo. Mas que simplesmente se esqueceu de como era bom sentir, sentir o calor de uma paixão, agora morta. Levada pelo vento, levada pela memoria.

Senti-te assim. Apenas ali.

 

(Continuação….)

Categorias:

Escrito por FlordeLis às 00:10
| Vossas memórias
9 comentários:
De Secreta a 3 de Janeiro de 2007 às 10:53
Hm ...
Deixo um beijito.


De apenasMadalena a 3 de Janeiro de 2007 às 16:18
Para já o mais importante de tudo: Feliz Ano de 2007!
Quanto ao texto, deslumbrante como sempre.
Sinceramente é 1 prazer enorme ler-te :)
Já tinha saudades :)
Bjokas gandes
Madalena


De joao filipe ferreira a 3 de Janeiro de 2007 às 17:31
um feliz 2007 e continua a nos seduzir com as tuas palavras=)
adorei:)


De melinha a 3 de Janeiro de 2007 às 17:40
o reencontro é sempre assim um n acabar de devaneio, loucura, um turbilhao de sentimentos...
estou ansiosa pela 2a parte!
bjos


De Leminho a 3 de Janeiro de 2007 às 18:54
Por vezes deixamos para trás momentos, sentimentos, lugares e pessoas que por mais que queiramos trazer de volta, ficaram lá, no passado. Só mesmo as recordações se mantém iguais....
Gostei das palavras.
bj
Gui


De ZePedro a 4 de Janeiro de 2007 às 13:36
Os encontros muita coisa podem ser
Reais, sonhados, imaginados, com uma sensação de deja vu, tanta coisa.
Por vezes, mesmo muitas vezes um encontro é clarificador, pode ser um reatar de algo que se deseja reatar como tambem pode ser a maneira de por um ponto final.
Quando se conhece bem com quem nos encontramos o encontro pode ser real mas tambem pode não ser, mas quer aconteça ou não é importante a imagem do encontro para que possamos espantar certos esqueletos dos nossos armários.
Se este encontro aconteceu ou não não sei nem sequer tem qualquer importancia, o importante é o sentimento que ficou e isso sim é o que vai contar para o futuro.
Beijos


De Pequenita - Quando o Teu Corpo e o Meu.. a 5 de Janeiro de 2007 às 12:00
Espero que venhas
E quando chegas
Não sei se és

Espero

Esgatanhado
Os vidros da janela
Com as garras
Que me crescem nos olhos
Quando te chamo

Porque eu não sei
Se vens porque me queres

Ou vens porque te amo!

Bom Ano
Kissesss Pequenita


De FlordeLis a 5 de Janeiro de 2007 às 14:09
PERFUME
Apenas lhe digo o seguinte :
Eu gosto de falar com pessoas que dao a cara, e gosto pouco que se levantem suposiçoes sem terem a certeza do que falam. Como não o faço a ninguem porque alem de nao gostar de me meter na vida das pessoas, nao faço aos outros o que nao gosto que me façam a mim.
De qualquer das formas, volto a dizer. Tem o meu email, que por acaso tambem é o meu messenger. Esteja à vontade para utiliza-lo.
Um bom resto de dia para si.


Memoriza comigo...

Memórias Recentes

...

Para ti...

Fonte

Memórias Passadas

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006