Sexta-feira, 17 de Junho de 2011

Simplesmente

 

 

 

Só te quero por perto

Se é certo ou incerto

Ninguém sabe...

 

Corres, tropeças

Atrás de algo que desvaneceu

Quem se perdeu

Foste tu ou fui eu?

 

Não me sorrias

Quando queres chorar,

Não me beijes,

Quando queres gritar.

Não me enganes

Quando me dizes que não

E me queres

Perdidamente.

 

 

Enche-me o peito de ar.

Preenche o ar de um Momento.

Sente Profundamente.

Se tu.

Simplesmente.

 

Categorias:

Escrito por FlordeLis às 16:45
| Vossas memórias | Devaneios (2)
Domingo, 22 de Maio de 2011

Dispo [me] ...

 

 

 

 

 

 

 

Veste-me de Alma !
 
De Branco Puro
de lagrimas presas
de um deserto sem lama
de um coraçao em chama
de mais uma esperança
sem dor.

 

Veste-me de Alma !

 

Veste - me de Amor,
Veste - me de Sentidos,
Na minha pele nua
que se insinua
numa dança particular.

Visto-me de ti
Onde a Alma se liberta
E o meu corpo se despe.
Queres-me assim.
Num lençol de cetim
Entregue por fim
A uma certeza descoberta
de algo que me prende
e se reflecte
na minha vontade de ti.

Categorias:

Escrito por FlordeLis às 22:23
| Vossas memórias | Devaneios (2)
Quinta-feira, 27 de Janeiro de 2011

Vida

  

Solta-te!

Solta-te de falsos moralismos

De pudores irreais

De palavras banais

Ou de fingidos romantismos

Solta-te!

Do que é preto no branco

Do que é certo ou errado

Do que é novo ou usado

Ou de um beijo repenicado

Que nem aquece nem arrefece!

Vive!

Vive para ti

Para quem gostas

E para quem te ama.

Jamais peças o impossível

Quando o executável

Esta ao teu alcance.

Olha em tua volta

E aprecia

Soltando-te e vivendo

A vida

Tal e qual como ela é

Aprendendo e crescendo

Sem qualquer tipo

De remendo

Ou explicações em rodapé!

 

Categorias:

Escrito por FlordeLis às 12:31
| Vossas memórias
Domingo, 19 de Dezembro de 2010

Prazer

 

 

Segue-me

Até ao meu leito

Pressente as ondas

Que ainda estão por vir

Pressinto o gesto

Quero sentir

O que de ti vem

Verte em mim

O que de ti aflora

É chegada a hora

De mais uma caminhada.

Não digas mais nada,

Deixa-te emergir!

Categorias:

Escrito por FlordeLis às 13:03
| Vossas memórias
Sábado, 14 de Março de 2009

Página


 

 

 

 

 

Viro a esquina;

Reviro a pagina.

Viro a vida do avesso,

Viro e rodopio em torno

De uma vida,

Que não vivida

Estagnou.

Não sarou.

Aberta

Tal ferida infectada.

Contaminada.

 

 

 

Posso revirar
O que já vivi.
Mas não acho
O que ficou.

O que sarou

Ficou esquecido.

O que magoou

Não voltou.

Pois de nunca dali saiu.

Paro.

Escuto.

Sussurro no tempo

Palavras da vida,

Que o vento

Assim levou.

Podes vir

Mas não me tragas

As memorias.

Lembra-me apenas

Em que parte da historia.

Eu morri.

 

 

 

 

 

 

 

 

Categorias:

Escrito por FlordeLis às 02:00
| Vossas memórias | Devaneios (1)

Memórias Recentes

Simplesmente

Dispo [me] ...

Vida

Memórias Passadas

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Protected by Copyscape Duplicate Content Protection Tool