Domingo, 3 de Outubro de 2010

Margarida (1ª parte)

 

 

Fiz um interregno ao meu conto, para vos dar a conhecer outro...

Um que me chegou às mãos através de um amigo e que fiz questao de o editar, autorizado claro esta pelo seu autor.

 

Ao autor:

 

Obrigada F.

Sera sempre um prazer ter aqui textos teus! ...

 

 

Margarida era a esposa de um amigo do meu pai.

Conheço-a desde que me lembro, ela conhece-me desde que nasci. Os meus pais dividiam a mesma casa de férias com dois casais, ela fazia parte de um deles.

Tinha eu seis anos, quando a vi nua pela primeira vez.

Estava eu na barraca da praia depois de comer, quando Margarida entrou e expôs-se com naturalidade, mudando de roupa mesmo ali à minha frente. O seu corpo bem torneado e avantajado, despertaram em mim algo intenso, excitante que ate então ainda não tinha experimentado, durante aqueles breves segundos.

Alguns anos mais tarde, a vida dos três casais levaram rumos diferentes e nunca mais a voltei a ver.

Passados aproximadamente trinta anos encontrei-a numa grande superfície, reconhecia de imediato, recordei-me como se fosse hoje daquele momento, o que deve ter ficado bem espelhado no meu rosto, porque ela olhou mas não me reconheceu logo à primeira, mas mesmo assim não afastou o seu olhar por muito tempo. Momentos depois, voltou a olhar uma segunda vez e como eu continuava a observa-la, decidiu meter conversa. Sabia que o meu rosto não lhe era estranho, mas não sabia de onde. Esclarecia-a de imediato.

Seguiu-se uma pequena conversa numa esplanada ali próximo, e lembro-me de pensar que Margarida estava cada vez melhor, e assim como pensei assim o disse, fazendo-lhe um elogio deixando-a um pouco embaraçada, mas ao qual me retribuiu, deixando-me ainda mais desejoso de ver ate onde aquela conversa nos iria levar. Sorrimos ambos. Disse-me onde morava, bem perto da praia que eu costumava frequentar, e à medida que aquele momento avançava, sabia que não teria muitas hipóteses de continuar aquela conversa por muito mais tempo. Ficou no ar um até breve, e uma desconfiança de que aquela não seria a ultima vez que os nossos caminhos se iriam cruzar novamente, despedimo-nos nesse dia ficando eu na esplanada a observa-la enquanto ela desaparecia de vista.

Na tarde seguinte, fui passear um pouco pela praia, e sendo já umas seis da tarde a praia começava a ficar deserta. Avistei uma figura que deitada de lado me pareceu familiar, e à medida que me aproximava, mais tinha a certeza.

Era ela. Estava sozinha, parecendo meio alheada ao ambiente que a rodeava mas quando me aproximei, ouvi-lhe a voz doce e serena. Acenou-me.

- Já te tinha visto à algum tempo. Disse, quando me aproximei, sorrindo com um olhar que me gelou da cabeça aos pés.

- Então, e porque e que não me chamou?

- Trata-me por tu, por favor.

Sentei-me mesmo ali ao lado, e a conversa foi-se desenrolando. À medida que as lembranças iam surgindo, eu observava de soslaio aquele corpo esguio, que me retirava a respiração e que me fazia desejar ter, desde que a reencontrei.

Enchi-me então de coragem e questionei-a se ela se lembrava do dia em que tinha entrado na barraca e se tinha despido à minha frente.

Era normal, visto que não tinha outro sítio, disse ela, e perguntou-me qual tinha sido a sensação com que eu tinha ficado. Disse-lhe que me recordava desse momento muitas vezes durante a vida. Soltou uma gargalhada, e quando parou trocámos um olhar que se fixou, e que denunciava a vontade que tinha crescido em ambos, no decorrer da conversa, e ao qual nenhum parecia ter muita vontade de fugir.

 

 

Categorias:

Escrito por FlordeLis às 20:30
| Vossas memórias | Devaneios (1)

Memórias Passadas

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Categorias

amigos(1)

aniversário(1)

ano novo(1)

contos(50)

dedicação(1)

desafios(2)

diário(74)

memórias(5)

musicas(1)

nadas(1)

natal(1)

páscoa(1)

pensamentos(16)

pequenos nadas(3)

poesia(20)

prémios(2)

registos(7)

todas as tags

Protected by Copyscape Duplicate Content Protection Tool